quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Polícia Civil não terá mais carcereiros até o fim de 2012

Agentes se tornarão investigadores. Decisão anunciada pelo governador Geraldo Alckmin integra plano de fechar as prisões dos distritos policiais

Bruno Huberman

Alckmin: “Não ter presos em distritos traz uma vantagem na eficiência, na investigação, ou seja, em todo o trabalho do policial civil”

(Eugênio Novaes/Governo de SP)


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta sexta-feira ( 16 /12) que será extinta, até o final de 2012, a figura do carcereiro na Polícia Civil.
Segundo o governo, será o primeiro estado do país a acabar com a função. A medida faz parte da estratégia de Alckmin de zerar o número de presos nos distritos policiais. Atualmente, há por cerca de 6.500 presos em delegacias, segundo o governador. No início do próximo ano, informou, 2.000 mulheres detidas em carceragens civis serão transferidas para presídios. “Não ter presos em distritos traz uma vantagem na eficiência, na investigação, ou seja, em todo o trabalho do policial civil”, diz o governador.
Até o final de 2012, 6.164 vagas estão previstas para serem abertas em dez novos presídios, segundo levantamento feito pelo site de VEJA a partir de dados oficiais da Secretaria de Administração Penintenciária (SAP). O custo estimado é de aproximadamente 370 milhões de reais. Hoje, estão em contrução 14 carcerargens no interior de São Paulo. As obras fazem parte do plano de expansão do sistema penitenciário paulista. Até 2014, 49 novas unidades devem ser erguidas a um investimento de 1,5 bilhão de reais. Ao todo, serão geradas 39.000 vagas. Neste ano foram inaugurados cinco novos presídios. De acordo com a assessoria da SAP, 173.457 pessoas estão em detenção provisória ou cumprindo pena em penitenciárias estaduais.
Os carcereiros deverão passar por um curso de reciclagem para se tornarem investigadores.
O secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, afirma que, por terem experiência policial, na prática, já estão aptos para desempenhar a nova função. Hoje, em torno de mil carcereiros trabalham em distritos de todo o estado.
Alckmin e Pinto participaram, nesta sexta-feira, de uma cerimônia que oficializou a integração de 967 novos policias civis à corporação. O governador autorizou a abertura de um novo concurso público para a contratação de outros 500 agentes.
A alteração faz parte de um processo de reformulação da corporação promovida pelo estado. Segundo ele, há cidades no interior que contam com apenas um investigador e um escrivão. E muitos desses profissionais estão para se aposentar. Além da integração de novos agentes e da extinção dos carcereiros, foi implantado um novo plano de carreira para os policiais civis e encurtado o período de treinamento dos novos agentes contratados. Agora, eles passarão por um treinamento de três meses e por um estágio de cinco semanas no distrito. Essa mudança, diz o secretário, não diminui a eficiência e a qualidade do policial e o torna apto mais rapidamente.

12 comentários:

  1. Seria bom se o concurso de Agente de Policia nao precisasse de Carteira de Habilitação "D", fiquei puto quando fiquei sabendo disso!!!

    ResponderExcluir
  2. É BOM ESTA TRANSFORMAÇÃO DOS CARCEREIROS EM INVESTIGADORES, SÃO PAULO ESTÁ PRECISANDO DE INVESTIGADORES COMPETENTES,QUE TRABALHEM DE VERDADE,E NÃO DAQUELES QUE QUE ENCOSTAM A BARRIGA NO BALCÃO DE UM DP.VAI ENCOSTAR O BUCHO NO BALCÃO DE UM BOTECO ORA !!! "FALTA É CULTURA PRA CUSPIR NESTA ESCULTURA"

    ResponderExcluir
  3. NINGUEM ENTENDEU TAL NOTICIA....NO YOU TUBE O GOVERNADOR DIZ QUE CARCEPOLS SE TORNARAO AGENTES POLICIAIS, AQUI DIZ QUE SE TORNARAO INVESTIPOLS....TA DIFICIL HEIN?

    ResponderExcluir
  4. Na matéria o governador foi bem claro, vai transformar os carcereiros em agentes policiais, e que por sua vez serão usados no serviço de invetigação, como ja acontece com os agentes atuais.... Vcs tão forçando a barra.

    ResponderExcluir
  5. Não me importo o que vai virar o que, apenas queria que neste ano que se inicia fossemos mais unidos e buscassemos reais melhorias, afinal, com excessãos dos DelPols, somos todos operacionais e se não nos unirmos de verdade estaremos fudidos com estes desmandos em que vivemos. Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  6. PARA O GOVERNO NAO INTERESSA PASSAR OS CARCEREIROS A INVESTIGADORES E SIM A AGENTES POLICICIAIS POIS O SALARIO E O MESMO PARA CARCEREIROS E PARA AGENTES, E PARA OS CARCEREIROS NAO VAI MUDAR NADA POIS JA FAZEM O TRABALHO DO INVESTIGADOR A MUITO TEMPO, E PARA O GOVERNO E A MAO DE OBRA MAIS BARATO E QUE INTERESSA

    ResponderExcluir
  7. MEUS PARABÉNS GOVERNADOR POR ENTENDER QUE OS CARCEREIROS TEM MUITA EFICIENCIA NO SETOR DE INVESTIGAÇAO.
    SENDO ASSIM, A MOLEZA DOS TIRAS VAI ACABAR, E TERAO QUE ERGUER AS MANGAS E TRABALHAR DE VERDADE.
    NAO VEJO A HORA

    ResponderExcluir
  8. É MAIS DO QUE JUSTO.

    ResponderExcluir
  9. Também parabenizo o nosso Governador, carcereiros merecem esse reconhecimento, realmente agora os tiras vão ter que correr atrás, senão vão acabar subordinados a um ex-carcereiro, que na sua grande maioria são mais POLÍCIA do que eles!!!! Estou contando os dias...

    ResponderExcluir
  10. os carcereiros serão beneficiciados e quanto aos agentes policiais? qual será o beneficio?
    poderiam se tornar Investigadores.... é o minimo

    ResponderExcluir
  11. valdecir
    sou agente policial gosto daquilo que faço nao quero mudar de carreira, gostaria de saber se o governo vai pagar nos com salario referente ao segundo grau (a lei existe desde o ano de 1999)acorda.....

    ResponderExcluir
  12. Não importa quem vai virar o que. O que importa é a união de todos nós. O policial precisa de estímulos, salário digno e o principal: reconhecimento. Não podemos ficar discutindo sobre mudanças de cargos, precisamos sim, nos unirmos para combater a criminalidade que cresce cada vez mais. Temos que nos unir para fazer a Polícia ser respeitada e temida como antigamente, senão, em breve, seremos parte da massa falida!.

    ResponderExcluir

Atenção! Os comentários ofensivos à Instituição ou pessoas serão de responsabilidade exclusiva de quem comenta, inclusive será divulgado o endereço IP, se solicitado.