terça-feira, 14 de setembro de 2010

SP assina contrato para tornozeleira eletrônica em preso

Sistema vai permitir o monitoramento de três mil reeducandos que atualmente estão no regime semiaberto

O contrato de prestação de serviços de monitoramento eletrônico, as chamadas tornozeleiras, de aproximadamente 4,8 mil presos do Estado de São Paulo será assinado na manhã desta terça-feira.
O sistema irá permitir o monitoramento de cerca de três mil reeducandos que atualmente estão no regime semiaberto e saem das unidades durante o dia para trabalhar. Os outros quase dois mil receberão o dispositivo durante as cinco saídas temporárias previstas na Lei de Execuções Penais (LEP): Páscoa, Dia das mães, pais, crianças ou finados e Natal/Ano Novo.
A prestação de serviços será realizada inicialmente durante 30 meses ao custo total de R$ 50.140.072. A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) espera que na saída temporária do Natal deste ano os presos já sejam monitorados.
Funcionamento
O sistema será descentralizado, com as Coordenadorias Regionais de Unidades Prisionais fazendo o controle dos presos de sua região. Cada tornozeleira será identificada por um número, e a empresa que prestará o serviço de monitoramento não terá acesso à identidade do reeducando - tal acesso será exclusivo do Departamento de Inteligência da Secretaria da Administração Penitenciária.
Caso o lacre do aparelho que fica preso ao corpo do preso seja rompido, a empresa comunicará à coordenadoria, cujo setor de inteligência identificará a qual sentenciado corresponde aquele número e avisará a Polícia Militar (PM). O reeducando perde o benefício do semiaberto e, quando recapturado, volta ao regime fechado.
OPINIÃO: É impressionante como os Governos,especialmente este de São Paulo, trata nós os policiais, e a população honesta em geral. Façam as contas em relação ao número de presos e o custo destas tornozeleiras para cada um deles.É um absurdo ! Enquanto nós que estamos na rua pagos para prender recebemos um salário de fome, aqueles que deveriam cumprir sua pena não a cumprem totalmente e quem paga por isso é a população que acaba pagando mais uma vez para mantê-los em liberdade vigiada. Quem é que em sã consciência acha que os presos, em sua grande maioria, irão dar alguma importância para tornozeleira?! É dinheiro jogado no lixo, dinheiro nosso que pagamos altos impostos. Até quando este Governo paulista ditará as regras?!Eternamente? Como se São Paulo vivesse um tipo de Monarquia?
Basta! Temos que valorizar e investir nos cidadãos de bem que contribuem para o crescimento de São Paulo e não em quem sempre nos deu prejuízo!
José Sanches
Agente Policial

Um comentário:

  1. qanto custou as tornozeleiras aos cofres pubricos

    ResponderExcluir

Atenção! Os comentários ofensivos à Instituição ou pessoas serão de responsabilidade exclusiva de quem comenta, inclusive será divulgado o endereço IP, se solicitado.